Grupo LINOS  ::  Media Center - Mega projeto de Co‐geração dos Primores do Oeste

Media Center

Mega projeto de Co‐geração dos Primores do Oeste

A Galp Energia vai investir sete milhões de euros numa central de cogeração que fornecerá electricidade, calor e dióxido decarbono às estufas da empresa Primores do Oeste, potenciando a produção de tomate e pepino fora de época.

Não é a primeira vez que o sector agrícola se apoia na cogeração, mas o projecto da Galp será um dos maiores na produção hortícola nacional. “Há de facto uma parceria em que a Galp se assume como parceiro estratégico ao nível do investimento e da gestão da energia”, disse ao Negócios o director de produção da Primores do Oeste, Jorge Camilo. “A potência eléctrica a instalar é de 8,8 MW (megawatts) e prevê‐se entrar em exploração no início de 2013″, acrescenta fonte oficial da Galp. Segundo Jorge Camilo, “a nível ibérico, poucos projectos há com esta dimensão”.

Situada no concelho de Torres Vedras, a Primores do Oeste possui 30 hectares de estufas, onde produz sobretudo tomate, pepino e alface. Com a central de cogeração, que será alimentada a gás natural, as estufas da empresa tiram ao mesmo tempo partido da electricidade (para iluminação), de energia térmica (para aquecer as estufas) e de dióxido de carbono (para estimular o processo de fotossíntese). O director de produção da Primores do Oeste diz que “o grande impacto não é tanto de poupança [na factura energética], mas antes pela oportunidade de negócio que isto vai gerar”, dado que Portugal é deficitário em produtos hortícolas no Inverno. Paralelamente, a empresa espera conseguir chegar a mercados externos aos quais até agora não chegava.

Em alguns países europeus, como a Holanda e a Alemanha, a cogeração já é um aliado importante dos produtores agrícolas. Em Portugal há algumas experiências. Segundo Jorge Camilo, a Atlantic Growers, empresa de capitais holandeses instalada em Odemira, já tem uma unidade de três MW junto aos seus cinco hectares de estufas, e a Horticilha, do grupo RAR, também opera uma central de cogeração.


Autor: HortiNet
Data: 2012-05-03
Fonte: Boletim informativo do COTHN



❮ voltar